quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Exército do Líbano diz: "Nós atiramos primeiro."

por Hanan Greenberg


Exército do Líbano admitiu que suas tropas abriram fogo contra as forças israelenses terça-feira; oficial das Forças Armadas: o Líbano tem muito a perder se mantiver a atitude beligerante.

O porta-voz do exército do Líbano confirmou o que Israel alega. Que as forças libanesas dispararam primeiro durante o confronto de terça-feira fronteira.

Em um comunicado divulgado à AFP e citado pelo diário libanês Al-Nahar na quarta-feira, o porta-voz libanês disse que "o Exército libanês abriu fogo primeiro quando os soldados israelenses entraram em território libanês ... isso constituiu em um direito absoluto na defesa de nossa soberania." (Nota da Hagshamá: repare foto abaixo que comprova que o ataque libanês se deu em território israelense e não no Líbano)

Mais cedo, um oficial das Forças de Defesa de Israel disse à Ynet que o Líbano tem muito a perder se mantiver uma atitude beligerante e cooperar com o Hezbollah,
dirigindo-se à possibilidade de cooperação futura entre o Exército libanês e o Hezbollah. O oficial militar disse: "O governo libanês teria de compreender as implicações disto. Como um estado, tem muito a perder. No final do dia, eles têm muito a pensar sobre os incidentes de terça-feira, e parece que já estão fazendo isso. "

O oficial previu que a calma será restaurada na fronteira Norte após o choque de terça-feira, mas destacou que o conflito "é um marco doloroso e significativo nas relações sensíveis na fronteira norte envolvendo o Exército de Israel, UNIFIL (ONU), e o Exército libanês".

"Isso pode ter um efeito direto durante os períodos de rotina, e principalmente durante os períodos de emergência", disse ele.


'O inimigo segue todos os nossos movimentos "

As Forças da ONU estão analisando os eventos de terça-feira e os funcionários estão insinuando que isso já poderia ser previsto, dado a aproximação política entre o Hezbollah e o exército do Líbano. Funcionários do exército de Israel estimam que a emboscada mortal enfrentada pelas tropas israelenses na terça-feira foi orquestrada por um oficial radical, mas que suas ações aparentemente refletem o espírito do exército libanês.

O incidente de terça-feira aconteceu após uma operação de rotina do Exército de Israel em um enclave da zona fronteiriça, onde soldados estavam cortando arbustos perto da cerca de fronteira. Apesar das tensões atuais, o Exército diz que vai continuar a realizar operações semelhantes nos próximos dias.

No entanto, autoridades militares estimam que o exército libanês, que se apressou a retirar as suas tropas após incidente de terça-feira, por receio de uma resposta forte israelense, percebeu que pagará um alto preço se um incidente similar se similar.